Pages

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Mensagem de Fim de Ano

O fim de ano se aproxima e com ele a época de festas.
Queremos desejar a todos um Feliz Natal e um Ano Novo cheio de realizações, longe de qualquer tipo de droga.
E falando nisto, mesmo estando em época de festas, gostaríamos de lembrar que é possível se divertir e muito sem o uso de álcool e outras drogas.
É isso aí! Somos gratos pela companhia durante este ano e em 2012 estaremos de volta com muitas novidades.
Valeu Galera!

A luta por um Brasil sem Cigarros continua

A série Brasil sem Cigarros terminou na TV, mas a luta por um Brasil sem Cigarros com certeza não.
Durante esta série, fomos informados sobre todos os males que o cigarro causa e orientados no enfrentamento das crises de abstinência.
Ainda não conseguiu deixar o vício?
O PROMED estará iniciando um Projeto novo que dará todo o suporte para você deixar este vício.
Para maiores informações e inscrições, procure-nos.
O PROMED funciona no CREAS – Rua da Fazendinha, 219. Fone: 15-3384-1154.


terça-feira, 22 de novembro de 2011

Siga mais um episódio da série Brasil sem Cigarros

Acompanhe mais um episódio da série Brasil sem Cigarros. E você, conseguiu parar ou convencer alguém que conheça a parar? Mostre os vídeos da série. Vamos juntos acabar com este mal!


http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1676794-15605-452,00.html

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

PROMED continua acompanhando a série Brasil sem Cigarro

O PROMED continua acompanhando a série Brasil sem Cigarro. No segundo episódio, vocês podem conferir os aspectos de um pulmão saudável e um após alguns anos de vício. Não percam. É assustador!
http://fantastico.globo.com/platb/brasil-sem-cigarro

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Começa a Campanha Brasil sem Cigarro

Começa a Campanha Brasil sem Cigarro e o PROMED vai acompanhar e reproduzir os links para que você também possa aderir e seguir de perto as dicas do Dr. Dráusio Valera. Confira o primeiro programa da série.
Entre as principais dicas estão:
1. Marque uma data. A data marcada pela campanha é o próximo domingo, dia 13 de novembro.
2. Quando sentir voltade de comer algo, deixe cortado cenoura, pepino, couve-flor, tomate cereja e salsão num recipiente com água e um pouco de sal e alimente-se dele.
3. Muito Importante: Uma aliada fundamental é a água.Tome goles de água ao sentir o desejo de fumar. Evite o cafezinho e bebidas alcoólicas
4. Pratique exercícios físicos e mude seus hábitos. Evite as situações em que normalmente você fuma.
5. Forme grupos de apoio.
E por falar em grupo de apoio, o PROMED decidiu ajudar neste sentido.
Em breve estaremos divulgando o início de um grupo de ajuda para os fumantes que queiram deixar o vício, com acompanhamento psicólogico e médico. Aguardem!

http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1676543-15605,00-ASSISTA+AO+PRIMEIRO+EPISODIO+DE+BRASIL+SEM+CIGARRO+COM+DRAUZIO+VARELLA.html

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Série Brasil sem Cigarro estréia neste domingo (6)

Neste domingo (6), estréia a série Brasil sem Cigarro, com o Dr. Dráusio Varela, no Fantástico. O PROMED apóia esta iniciativa e estará acompanhando todas as dicas.
Neste último domingo, Dr. Dráusio deu duas dicas,  ou podemos chamar de metas iniciais:
1ª - Nesta semana, os fumantes devem cortar pela metade o número de cigarros que fuma por dia;
2ª - O primeiro cigarro da manhã deve ser aceso apenas duas horas após acordar.
Ele garante que até dia 13 de novembro, quem seguir suas dicas terá deixado o vício. E nós torcemos para que isto aconteça.
Vamos acompanhar todas estas dicas.
http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1676428-15605,00-PARAR+DE+FUMAR+E+UMA+PROVA+DE+RESISTENCIA+GARANTE+DRAUZIO+VARELLA.html

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Brasil sem cigarro

O cigarro é uma droga lícita. Não é tão simples parar de fumar, mas não é impossível. O PROMED aderiu à Campanha do Dr. Dráuzio Varela. Acompanhe as reportagens e siga as dicas. http://fantastico.globo.com/platb/brasil-sem-cigarro/

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Abraços Grátis e palestras educativas marcaram aniversário de um ano do PROMED

Na última semana o Programa Municipal de Enfrentamento às Drogas (PROMED), desenvolvido pela Prefeitura através do CRAS/CREAS, completou um ano de atividades. E uma série de atividades marcou essa importante data.
Na segunda-feira (1), foi realizada no Centro de Convivência do Idoso “Recanto do Ipê”, uma palestra sobre prevenção de Alzheimer, aberta a toda a população. A palestra foi ministrada pela psicóloga e coach Dra. Rita Miranda, da Lúdico Gestão de Pessoas.
Na terça-feira (2), o tema abordado foi Gestão de qualidade de vida e saúde no trabalho, com Eduardo Mello Padilha. O encontro aconteceu no Salão Nobre do Paço Municipal.
Um dos grandes momentos da semana aconteceu na quarta-feira (3), quando a equipe do CREAS/PROMED, foi às ruas para o Dia do Abraço. A equipe percorreu várias ruas do centro da cidade, visitou o comércio e a Escola Municipal de Educação Básica Especial EMEBE “José Bepe Módolo”. O prefeito Du Pilon, acompanhado do vice-prefeito Márcio Gaiotto, da presidente do Fundo Social Jacqueline Grando Gaiotto, da gestora da Assistência Social Patrícia Cláudia Rodrigues, participou desse importante gesto. Simpatizantes do PROMED, de outros setores, também prestigiaram. A tarde foram realizadas palestras sobre o Abuso de álcool, tabagismo e drogas x impacto no ambiente de trabalho e na família para 630 servidores públicos da Prefeitura e Saaec. Essas palestras prosseguiram na quinta-feira (4), inclusive abertas ao público.
Em um ano de atividades o PROMED atendeu 1881 famílias em todas as suas frentes de trabalho, que são prevenção, reinserção e grupos de apoio.
O prefeito de Cerquilho Du Pilon elogia o trabalho desenvolvido pelo PROMED e ressalta a importância de trabalhos de prevenção, a fim de evitar que as pessoas se percam no mundo das drogas.
O PROMED de Cerquilho funciona na Rua da Fazendinha, 219, Centro. Informações podem ser obtidas pelo telefone (15) 3384-1154.


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Vocalista Kurt Cobain também enfrentou problemas com drogas

Cantor de sucesso, era Vocalista do grupo Nirvana,sofreu overdose por heroína e foi encontrado morto com um tiro na cabeça

Com a droga não se brinca. Droga mata mesmo

Amy Winehouse, ícone da música pop internacional, faleceu no último sábado (23). Amy teve muitos problemas com drogas durante sua vida. Confira a seguir uma matéria falando de artistas que também morreram aos 27 anos.

http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2011/07/como-outros-icones-do-pop-amy-winehouse-morreu-aos-27-anos.html

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Projeto Cerquilho Sem drogas já está em execução

As escolas da rede municipal de Cerquilho “Marina”,“Arthur Gaiotto”, e “Luigi” já estão participando do Projeto Cerquilho sem Drogas, do PROMED.
Até agora 1049 alunos do 6º ao 9º anos e EJA (Ensino de Jovens e Adultos)  já receberam o livro Droga Disfarçada de Estudantes e os professores iniciaram o trabalho em sala de aula.
A primeira etapa do projeto consiste na leitura dirigida do livro em questão. Numa segunda etapa, todos os alunos terão um encontro com o autor do livro Fellipe Arlem Maffra, que também terá um momento de discussão sobre o tema drogas e sua prevenção com os pais.
Um diferencial deste projeto é que ele não fica adstrito ao uso de drogas e seus efeitos, mas sim possibilita aos alunos uma reflexão sobre este mal do nosso século, orientando a escolha pelo não uso de drogas.
As próximas escolas serão o João Toledo e Adelaide.
No segundo semestre o trabalho será realizado com os pais das escolas infantis e creches, orientando-os para a prevenção.
Se você já participou do projeto ou está participando e quer omitir uma opinião, este é seu espaço.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Reportagem do Jornal Bom Dia Brasil alerta sobre riscos de nova droga

A metanfetamina é parecida com o ecstasy, mas os efeitos são piores.
Segundo a polícia, a apreensão de metanfetamina não configura tráfico.
Confira a reportagem completa clicando no link a seguir
http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2011/06/sp-com-efeito-devastador-metanfetamina-circula-em-festas.html

quarta-feira, 1 de junho de 2011

PROMED VOLTA ÀS ESCOLAS COM O PROJETO CERQUILHO SEM DROGAS

Estão sendo retomadas neste mês as atividades preventivas do PROMED. O projeto Cerquilho Sem Drogas estará retomando às escolas ainda este mês.
Neste projeto, todos os alunos do 6º ao 9º ano das escolas municipais receberão o livro “Droga Disfarçada de Estudante” para ser lido e trabalhado em sala de aula. Após esta leitura, os alunos têm um encontro com o autor do livro Filippe Arlem Mafra, que num segundo momento também se encontra com os pais.
Este é um projeto de prevenção diferenciado porque não fala dos efeitos das  drogas em si, mas auxilia na tomada de decisão do adolescente para conseguir rejeitar as drogas.
No ano de 2010, o projeto piloto foi desenvolvido na escola João Toledo e depois seguiu para as escolas Luigui, Bernardes e Vitória, estas últimas do estado e foram beneficiados os alunos do terceiro ano. Foram mais de 800 alunos.
A aceitação do livro pelos adolescentes é ótima. Com uma história envolvente e verídica, as pessoas lêem o livro em horas.
Aguarde a chegada do projeto em sua escola e não perca esta oportunidade!
Cerquilho Sem Drogas – A vida vale mais!


segunda-feira, 23 de maio de 2011

Promed preocupado com a nova droga Oxi

A Equipe do Promed está muito preocupada com a disseminação da nova droga Oxi, de efeitos mais devastador que o crack. Neste sentido, vem disponibilizando informações e links da mídia em geral sobre o assunto.
"Entendemos que a prevenção inicia-se com a informação, e este é exatamente o objetivo deste blog", comentou Patrícia Rodrigues, psicóloga, responsável pelo PROMED.

http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1662716-15605,00-OXI+PODE+MATAR+DOS+USUARIOS+EM+APENAS+UM+ANO.html

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Saiba os efeitos que o oxi causa no corpo humano

Reportagem publicada essa semana no portal G1, mostra os efeitos que o oxi causa no corpo humano. Confira a matéria completa acessando o link abaixo:

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/05/veja-os-efeitos-do-oxi-no-corpo-humano.html 

terça-feira, 17 de maio de 2011

Oxi, uma drogra ainda mais forte

O oxi é uma pedra tóxica feita com cal, gasolina e pasta de cocaína – se espalha pelo país e assusta as autoridades mais que o crack. Veja no link abaixo uma reportagem especial, que mostra, inclusive, histórias de pessoas que sofreram as consequências dessa droga.

http://gazetaweb.globo.com/v2/noticias/texto_completo.php?c=232555

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Beneficiários do PROMED – Casa Dia realizaram passeio em Comemoração ao Dia das Mães

Os beneficiários do PROMED - Casa Dia realizaram na última quinta-feira (12), em comemoração ao Dia das Mães, um passeio especial. Acompanhados pela equipe técnica, os beneficiários e sua mães/responsáveis visitam a Estância de Águas de São Pedro. “O passeio é uma forma de resgatar alguns vínculos que possam ter sido perdidos com a família na fase aguda da dependência química e aproveitando a data, a equipe técnica programou essa atividade”, disse a psicóloga Patrícia Rodrigues, responsável pelo PROMED.
"De acordo com algumas mães, há muito tempo elas não tinham uma oportunidade de lazer com seus filhos" - complementa a coordenadora do CREAS, Simone Bellucci.
Este mês também foram reiniciadas as atividades de prevenção através do projeto Cerquilho sem Drogas, e os alunos das escolas “Marina”, “Artur Gayotto” e “Adelaide Tozi”, em breve receberão a visita da equipe do PROMED.
O Programa Municipal de Enfrentamento às Drogas atende hoje 189 famílias, com atividades de Casa Dia para dependentes químicos em recuperação, grupos de apoio para famílias e para dependentes, além de encaminhamento para internações e trabalhos na área de prevenção.
O prefeito Du Pilon está muito satisfeito com as atividades do PROMED: "Droga é um assunto muito sério. Fico feliz de poder tratá-lo com a seriedade e o rigor técnico que este grave problema social requer."
Outras informações podem ser obtidas através do telefone 15-3384-1154 ou no CREAS, na Rua da Fazendinha, 219.

Reportagem de TV alerta população sobre a nova droga: OXI

O programa Mais Você, da Rede Globo, divulgou uma reportagem na última quarta-feira (11), alertando a população sobre uma nova droga que surge com força na sociedade: o Oxi, uma droga barata e muito mais perigosa.
Confira a reportagem completa no link a seguir:

http://maisvoce.globo.com/MaisVoce/0,,MUL1661689-10345,00.html

terça-feira, 10 de maio de 2011

PROMED ganhou um novo logotipo

O Programa Municipal de Enfrentamento às Drogas (PROMED) realizou durante o mês de abril a votação para a escolha do seu novo logotipo desenvolvido pelos alunos da Escola de Informática.
A entrega dos prêmios aos três mais votados aconteceu neste domingo (8), durante a 6ª Festa das Nações de Cerquilho. A solenidade de premiação contou com a presença do vice-prefeito Márcio Gaiotto, da presidente do Fundo Social de Solidariedade Jacqueline Grando Gaiotto, da gestora da Assistência Social e coordenadora do PROMED Patrícia Cláudia Rodrigues e familiares dos alunos.
O novo logotipo do PROMED foi criado pela aluna Tainá Fogaça que ganhou uma impressora HP Deskjet 100, gentileza da Nasciprint.
Em segundo lugar ficou o logotipo desenvolvido pelo aluno Daniel Cattai Junior, que levou para casa uma Webcam, gentileza da FN System. E o aluno Breno José de Campos ficou em terceiro lugar e ganhou um Pen Drive de 4 GB.
O Programa Municipal de Enfrentamento às Drogas realiza atendimento na área de dependência química em Cerquilho, com módulos que atingem todos os alunos da rede pública de ensino, com apoio da Secretaria Municipal de Educação e Cultura. Recentemente foi lançado o novo módulo PROMED vai até você, com palestras preventivas para alunos das escolas particulares, pais e população em geral. Promove ainda grupo de apoio aos dependentes químicos e seus familiares, além do atendimento-dia com oficinas diversas.
O PROMED funciona na Rua da Fazendinha, 219. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (15) 3384-1154, através do e-mail promed@cerquilho.sp.gov.br ou pelo blog http://www.promedcerquilho.blogspot.com/


                                                    Tainá Fogaça recebe prêmio pelo primeiro lugar


                                                    Daniel Cattai Junior, segundo colocado

                                                   Breno José de Campos, terceiro colocado

                                          Esse é o novo logotipo do PROMED

quarta-feira, 27 de abril de 2011

PROMED inicia novas atividades com sucesso

O PROMED, sob coordenação da psicóloga Patrícia Rodrigues, iniciou novas atividades esta semana.

O Programa Municipal de Enfrentamento às Drogas inaugurou um novo módulo de trabalho: PROMED vai até você. Este novo módulo é composto por palestras desenvolvidas pelas técnicas sociais Simone Bellucci, Graciane Martin, Mariana Stefani e Ana Carolina Tassi que estão sendo ministradas nas escolas do município e para a população em geral.

Nesta semana, o PROMED foi à Cooperativa Educacional de Cerquilho/Anglo, ministrar palestra para mais de 200 alunos estudantes do 6º ano ao 3º ano do ensino médio.
Também esta semana, os alunos da EMEF “Professora Marina Bordenalle Pilotto Gaiotto”, receberam o livro "Droga Disfarçada de Estudante" para início do módulo preventivo Cerquilho sem Drogas, que este ano vai atingir 3200 alunos de toda a rede pública de ensino.

Saiba mais sobre o PROMED

O Programa Municipal de Enfrentamento às Drogas foi implantado em setembro de 2010 e realiza atendimento na área de dependência química no município de Cerquilho. Trabalha a prevenção através dos módulos Cerquilho sem Drogas, com o apoio da Secretaria de Educação que permite acesso aos alunos da Rede Pública, e agora o novo módulo PROMED vai até você, com palestras preventivas para alunos de escolas particulares, pais e população em geral. Realiza grupo de apoio aos dependentes químicos e seus familiares, além de realizar atendimento-dia em sua unidade com oficinas diversas de recuperação e reinserção social.

Hoje, mais de 150 pessoas são atendidas mensalmente  no PROMED. "A dependência química é um problema que devemos enfrentar. Ações como as desenvolvidas pelo PROMED auxiliam no enfrentamento desta problemática. O dependente químico é marginalizado e o PROMED existe para oferecer a  oportunidade de um recomeço." disse o prefeito Du Pilon.

O PROMED funciona na Rua da Fazendinha, 219. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (15) 3384-1154, através do e-mail promed@cerquilho.sp.gov.br ou aqui no blog.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Cientistas identificam gene ligado ao consumo de álcool

Estudo contou com mais de 47 mil voluntários. Uso exagerado da bebida mata 2,5 milhões em todo o mundo por ano.
Da Reuters
Cientistas identificaram um gene que parece ter papel na regulação de quanto álcool uma pessoa bebe. Eles dizem que a descoberta poderia ajudar na busca por tratamentos mais eficazes contra o alcoolismo e as bebedeiras.

Em um estudo com mais de 47 mil voluntários, uma equipe internacional de cientistas descobriu que pessoas que possuem uma rara variante de gene chamado de AUTS2 bebem em média 5 por cento menos álcool do que as com a variante mais comum.

O gene AUTS2, também conhecido como "candidato 2 de suscetibilidade ao autismo", havia sido previamente relacionado ao autismo e à desordem de hiperatividade do déficit de atenção (ADHD), mas sua função real não está clara, disseram os pesquisadores.

"Claro que há uma porção de fatores que afetam o quanto de álcool uma pessoa bebe, mas nós sabemos que os genes desempenham um papel importante", disse Paul Elliott, do Imperial College de Londres, que integrou a equipe do estudo.

"A diferença que este gene particular produz é somente pequena, mas ao encontrá-la abrimos uma nova era de pesquisa."

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o uso prejudicial do álcool resulta em 2,5 milhões de mortes por ano em todo o mundo. Esse é o terceiro maior fator de risco no mundo para doenças como desordens neuropsiquiátricas, como é o caso do alcoolismo e epilepsia, bem como doença cardiovascular, cirrose do fígado e várias formas de câncer.

Gunter Schumann, do Instituto de Psiquiatria do King's College, de Londres, disse que a combinação de estudos genéticos e dados comportamentais deve ajudar os cientistas a compreender melhor as bases biológicas dos motivos pelos quais as pessoas bebem, algumas delas em excesso.

"Este é um primeiro passo importante em direção ao desenvolvimento da prevenção e tratamentos de abuso e dependência de álcool", disse ele.

No estudo, publicado na revista da "Proceedings of the National Academy of Sciences" (PNAS, na sigla em inglês), a equipe analisou amostras de DNA de 26 mil voluntários em busca de genes que parecem afetar o consumo de álcool e depois checou suas descobertas em outras 21 mil pessoas.

Em uma parte da pesquisa, depois de identificar o AUTS2, os cientistas analisaram o quanto o gene era ativo em amostras de tecidos do cérebro. Eles descobriram, então, que as pessoas com a variante do gene relacionada ao menor consumo de álcool tinham uma atividade maior no gene.

Fonte: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/04/cientistas-identificam-gene-ligado-ao-consumo-de-alcool.html

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Afogar “mágoas” com bebida leva jovens ao alcoolismo mais depressa

Diego Maldonado, o menino bonito e rico da novela Rebelde, usa a bebida como “válvula de escape” para esquecer a tumultuada relação que tem com o pai, um poderoso empresário que não aceita o lado artístico do filho.
Quem diz isso é o próprio Arthur Aguiar, o intérprete do protagonista, em entrevista exclusiva ao R7.

Diego nasceu em uma poderosa família de políticos e empresários bem-sucedidos. Com uma vida bastante confortável, teria tudo o que quisesse se não fosse desprezado pelo pai – um homem poderoso que não tem tempo para ele, nem para a mulher.
Além da distância física, Diego sente também o desgosto do pai pela sua personalidade. Ele quer que o filho siga seus passos, mas Diego gosta de música, não de negócios. Para tentar atrair o pai, o rapaz passou a exagerar na bebida alcoólica e viver situações perigosas.
- Ele bebe para chamar a atenção do pai. Pode ver, sempre quando ele é desprezado pelo pai, ele bebe.
Arthur, que tem 22 anos, e é bem diferente de seu personagem, diz que nota vários “Diegos” em outros jovens. Para encarar o mauricinho, tem ido aos bares cariocas com os amigos para observar como meninos e meninas se comportam a mesa. Exageros, segundo ele, dão o tom na maioria.
- Os jovens hoje bebem demais por qualquer coisa e acham que só podem se divertir assim. Eu não preciso beber para me divertir, bebo só socialmente e nem em todos os fins de semana, como a maioria faz.
Ex-nadador profissional, o carioca acha o comportamento de Diego preocupante, mas entende que o problema é emocional.
- Talvez se o pai desse atenção para ele, o Diego não precisaria fazer tudo aquilo. Ele já tem feito coisas perigosas, como pegar o carro bêbado e bater.

Arthur não sabe ainda se Diego se tornará um alcoólatra, mas assegura que seu personagem vai aprontar muito mais por aí.
Alcoolismo na juventude
Ser um alcoólatra quando jovem implica em problemas até mais graves do que quando se é adulto. Isso porque o abuso do álcool pode alterar o sistema nervoso que ainda está em formação. O resultado: causa dependência de forma mais rápida e destruidora do que em pessoas maiores de 21 anos, segundo Sérgio Duailib, especialista em dependência química e doutor pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).
- Quanto mais precoce se inicia o consumo de álcool, mais cedo a bebida vai atingir o sistema nervoso. Essa estimulação precoce leva à repetição do comportamento de forma bem mais frequente do que em um cérebro de um adulto, que já está totalmente formado e preparado para receber e reagir a esses estímulos.
O resultado das bebedeiras tende a influenciar de forma crítica o aprendizado e a vida social desse jovem.
- A dependência leva à tolerância da bebida e esse jovem vai precisar cada vez mais dela para conseguir o mesmo efeito. Isso vai levar à queda do rendimento escolar e alteração do comportamento.
Qual é o limite?
O limite entre beber muito para se divertir ou para afogar as mágoas é bem tênue se comparado entre pessoas que bebem por vício, como um alcoólatra, explica o psiquiatra Pedro Katz, diretor técnico do SAID (Serviço de Atenção Integral ao Dependente), do Hospital Samaritano em conjunto com a Prefeitura de São Paulo.
Segundo o especialista, beber várias vezes por semana, ou voltar alcoolizado das últimas reuniões com amigos, já podem ser considerados fortes indícios de abuso do álcool.
Entender como isso acontece nem sempre é fácil. São vários os fatores que levam os jovens a beber demais e, por consequência, se tornarem alcoólatras. Um deles, segundo Katz, é achar que o uso esporádico do álcool é normal até dentro de casa. Isto é, assim como Diego, a família pode ter papel importante nesse comportamento.
- É a banalização do consumo que mais preocupa. Um exemplo é a apresentação da bebida pelos próprios pais ou por amigos cujos pais autorizam e incentivam, sem lembrar que o jovem busca sensações de prazer ou vive sob pressão de um grupo.
É comum também, segundo ele, jovens abusarem da bebida para ficar mais desinibidos, preencher vazios existenciais, quadros de ansiedade, e mesmo uma depressão. E quanto maior for a frequência, maior a chance desse jovem se tornar dependente.
Diante desses fatores, Katz orienta aos pais a ficarem atentos ao comportamento dos filhos e saber quem são seus amigos.

Katz finaliza:

O adolescente é muito mais impulso do que emoção. Com eles tem que se buscar primeiro uma questão motivacional, trabalhar com reforços positivos, e descobrir se ele sofre de outros quadros como ansiedade, déficit de atenção ou depressão, antes de tratar.

Tratamento:
O alcoolismo juvenil deve ser tratado. O ideal é procurar um serviço especializado, como o PROMED, em Cerquilho.

Fonte: Blog Dependência Química – UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas.

segunda-feira, 28 de março de 2011

CONCURSO: NOVO LOGOTIPO PARA O PROMED


O Programa Municipal de Enfrentamento às Drogas (PROMED) começa o ano de 2011 com inovações. Está aberta a votação para o novo logotipo desenvolvido pelos alunos da Escola de Informática para o PROMED.
A partir desta segunda (28), pelo blog, você pode votar no logotipo de sua escolha. Convide o pessoal para participar. A votação será encerrada em 30 dias e a premiação será entregue no domingo, dia 08 de maio, na Festa das Nações.
Os três mais votados serão premiados, sendo que o primeiro prêmio é uma impressora doméstica colorida HP, gentileza da Nasciprint. O segundo colocado ganhará uma webcam, gentileza da FN System e o terceiro prêmio é um pendrive de 4GB.

Para votar, escolha um dos desenhos abaixo e  responda a enquete ao lado.

ALUNA KAREN BARLATI - PROFESSOR EDSON MATEUS



ALUNO RAFAEL MENESES - PROFESSOR EDSON MATEUS


ALUNA ANA CAROLINE GRANDO - PROFESSOR BETO


ALUNA LEILA APARECIDA DA SILVA - PROFESSOR BETO


ALUNA TAINÁ FOGAÇA - PROFESSOR BETO

ALUNO BRENO JOSÉ DE CAMPOS - PROFESSOR BETO


ALUNO MATEUS DE PONTES GONÇALVES - PROFESSOR BETO


ALUNO WANDERSON FERREIRA DA SILVA - PROFESSOR BETO


ALUNO IGOR GIACOMAZI - PROFESSOR BETO

ALUNA BEATRIZ MARTINS TEIXEIRA - PROFESSOR LUIZ ANTONIO


ALUNO JEAN CLEBER ANSELMO - PROFESSOR LUIZ ANTONIO


ALUNO LUCAS DOS SANTOS PEREIRA - PROFESSOR LUIZ ANTONIO



ALUNO DANIEL CATTAI JR. - PROFESSOR THALES



ALUNO LUIZ GUSTAVO CINTO - PROFESSOR THALES



Após votar aproveite para ler as informações sobre drogas no blog.

Participem!

quinta-feira, 3 de março de 2011

Perguntas e Respostas: Êxtase


O que é o Êxtase?
Êxtase é uma substância que foi fabricada pela primeira vez em 1914 para ser usada como moderador de apetite (remédio para emagrecer). Hoje em dia, as pessoas costumam fazer uso dessa droga para sair a noite (sair na balada), seja em festas rave (festas geralmente em locais abertos e afastados onde se toca música eletrônica) ou em boates e clubes. Ela é uma substância chamada MDMA (sigla para um nome bem grande: 3,4 metilenodioximetanfetamina). Porém cada comprimido de êxtase possui quantidades variáveis de impurezas como MDA, MDEA, cafeína, efedrina, etc.

Como o Êxtase é usado?
O êxtase é um comprimido redondo, de várias cores e tamanhos. Por ser um comprimido, precisa apenas ser ingerido para dar os seus efeitos. Existe porém também o êxtase sob a forma de cápsulas gelatinosas e em pó, o qual é aspirado.

Por que usam o Êxtase?
As pessoas usam o êxtase para ir dançar em festas rave ou até mesmo em clubes e boates. Enfim, para ter o tão falado "barato", ou para ficar "ligado" e outros termos de gíria, durante uma festa.

Quem são as pessoas que usam o Êxtase?
São as pessoas que costumam freqüentar as festas rave. Isso não significa que toda a pessoa que vai numa rave usa êxtase.

Quantas pessoas usam o Êxtase?
Não se sabe ainda no Brasil a proporção de pessoas que fazem uso dessa droga. Suspeita-se entretanto que o consumo tem crescido bastante, principalmente entre jovens da classe média, média alta e alta.

O que o Êxtase faz no corpo após uma dose (efeitos físicos agudos)?
A temperatura corporal da pessoa que usou a droga sobe bastante (hipertermia), podendo ir acima de 400 centígrados, o que é muito perigoso. Ocorre também um aumento de batimentos cardíacos e da pressão arterial. Com frequência pode ocorrer também uma desidratação pois a pessoa além de ter um aumento de temperatura transpira muito com a dança, o que traz grande perda de água.

O que o Êxtase faz no corpo após o uso continuado (efeitos físicos crônicos)?
O uso crônico do êxtase pode trazer uma série de complicações. A pessoa pode ter problemas hepáticos tais como insuficiência e icterícia (mais um nome médico complicado que descreve o estado no qual o sujeito fica com uma coloração amarelada). Pode também vir a ter problemas cardíacos devido ao constante aumento de pressão do sangue e ao aumento dos batimentos do coração. A pessoa também emagrece.

O que o Êxtase faz com a mente após uma dose (efeitos psíquicos agudos)?
Esta droga junta efeitos alucinógenos (mudança na percepção da realidade) com efeitos estimulantes (aumento da atividade física e insônia). Mas o que mais chama a atenção seriam os seus efeitos "entactógenos" (é um nome médico que significa aumento do desejo de se comunicar com outras pessoas); mas até hoje é discutido a existência real deste efeito.

O que o Êxtase faz com a mente pelo uso continuado (efeitos psíquicos crônicos)?
Transtornos psiquiátricos podem surgir e lesão cerebral pode ocorrer. Por exemplo, existem evidências cientificas de que o êxtase destrói células do cérebro (neurônios) que funcionam à base de uma substância (neurotransmissor) chamada serotonina.

O Êxtase afeta a escola?
O uso de êxtase e a prática escolar não combinam, pois a droga altera o ciclo sono/vigília, pode provocar alucinações e é estimulante. No dia seguinte ao uso as pessoas costumam estar fatigadas (muito cansadas), pois dançaram muito na noite anterior. Assim o aluno não consegue concentrar-se nas aulas, não consegue estudar direito e vai ter um desempenho escolar inferior ao dos colegas.

O Êxtase leva ao uso de outras drogas?
As pessoas que tomam êxtase costumam tomar junto bebidas energéticas e fumar maconha. Mas nem todos são assim. Algumas pessoas resolvem tomar esta droga sem misturá-la com nenhuma outra, permanecendo assim "fiéis" ao êxtase.

Você reconhece quando alguém usa Êxtase ?
As pessoas que estão sob o efeito do êxtase costumam dançar muito, sem parar. Bebem muita água também (para repor a água perdida durante a dança e também por que a temperatura corporal aumenta muito).

O Êxtase é usado como medicamento?
Não! Ele foi sintetizada para ser usado como um moderador de apetite, mas não mostrou nenhuma utilidade clínica. Tentou-se usá-lo como auxiliar psicoterápico, o que também não deu certo. Desse modo esta droga não tem nenhum efeito terapêutico.

O Êxtase pode ser usado na gravidez?
Não se deve fazer uso dessa droga durante a gravidez, pois a mãe vai estar passando-a para o bebê através da placenta, o que pode dar uma série de complicações. Aliás, nenhuma substância deve ser utilizada durante a gravidez, a não ser aquelas porventuras receitadas pelo médico.

As pessoas ficam dependentes do Êxtase?
Sim, existem casos de dependência de êxtase, nos quais a droga passa a assumir uma importância enorme para a pessoa, deixando para segundo plano coisas e valores que até então eram muito importantes.

As pessoas podem parar de usar o Êxtase?
Sim, é só querer. É claro que nos casos de dependência não é tão simples assim. A pessoa necessita então de tratamento especializado.

Com o continuar do uso o Êxtase vai perdendo o efeito (tolerância)?
Sim, é preciso aumentar a dose da droga para ter o mesmo efeito.

O que acontece se uma pessoa for surpreendida usando Êxtase?
É muito difícil surpreender alguém usando êxtase, pois se trata de um comprimido, que é pequeno e não deixa cheiro. E os efeitos que ele produz não são características ou próprios (outras substâncias podem apresentar um ou outro dos efeitos). Mas se for pego, pode até ser preso pois o seu uso é proibido por lei.

O que acontece se uma pessoa for surpreendida levando Êxtase para usar junto com amigos?
Ela pode ser presa, pois se trata de uma droga ilícita; assim, dependendo da dose poderá ser considerada como traficante e ser condenada.

O Êxtase age sobre a memória?
O uso de êxtase pode causar danos à memória e ao cérebro, pois "destrói" uma substância existente no cérebro chamada de serotonina.

O Êxtase age sobre a atividade sexual?
A mídia deu ao êxtase o rótulo de "droga do amor", o que não é verdade. Essa substância não aumenta a excitação nem o desejo sexual na maioria dos indivíduos que a usam. O que parece ocorrer é que as pessoas ficam mais sociáveis, passando a se tocar mais.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Perguntas e Respostas sobre: Solventes


O que são solventes?
Solventes são substâncias capazes de dissolver coisas. Via de regra todo solvente é uma substância altamente volátil, isto é, que se evapora facilmente, daí é que pode ser inalada (introduzida no organismo através da aspiração, pelo nariz ou boca). Outra característica da maioria dos solventes é a de serem inflamáveis, isto é, pegam fogo facilmente.

Solventes e inalantes são a mesma coisa?
Normalmente as pessoas falam de solventes e inalantes como sendo sinônimos, porém nem todo solvente pode ser inalado. Por exemplo, a água é um solvente, entretanto não pode ser inalada, pois é pouco volátil (não se evapora facilmente) portanto não é um inalante.

O que é um inalante?
Inalante é um solvente com características de ser uma substância facilmente volátil e que pode ser inalada, isto é, pode ser introduzida no organismo através da aspiração pelo nariz ou boca.

Por que as pessoas usam os solventes?
Não existe uma resposta única para esta pergunta, como, aliás, acontece para o uso de todas as drogas. Ao que parece os meninos de rua usam solventes para abrandar a difícil realidade que enfrentam. Outros afirmam que usam solventes para sentirem novas sensações psíquicas (ter um "barato").

Quem são as pessoas que mais usam os solventes?
Os adolescentes são as pessoas que mais usam este tipo de drogas. Os solventes são as drogas mais consumidas entre os meninos de rua e estudantes da rede pública de ensino. Ao contrário do que se imaginava os uso de solventes não é característica exclusiva das camadas sociais mais pobres.

É fácil conseguir solventes?
  Existe um número enorme de produtos comerciais fabricados à base de solventes. Entre eles estão os esmaltes, tintas, thinners, propelentes, gasolina, querosene, removedores, vernizes, cola de sapateiro, corretor de escrita ("branquinho"), éter, acetona, benzina, lança - perfume, cheirinho da loló, etc.

O que é o lança-perfume?
É um solvente à base de cloreto de etila, que vem em tubos metálicos ou de vidro e é usado em carnavais. No Brasil o lança - perfume é proibido e só entra através do tráfico de drogas. Muitas vezes o lança - perfume é confundido com o cheirinho da loló.

O que é o cheirinho da loló?
O cheirinho da loló é também conhecido como loló ou apenas cheirinho.
É um preparado clandestino (fabricado ilegalmente), à base de éter mais clorofórmio e usado apenas para fins de abuso. Sabe-se que esses "fabricantes" quando não encontram uma daquelas substâncias eles a substituem por qualquer outro solvente; portanto há muita confusão quanto a composição do cheirinho da loló o que complica quando se tem um caso de intoxicação aguda por esta mistura.

Quais são os efeitos de solventes na mente (efeitos psíquicos agudos)?
Após a inalação de um solvente a pessoa sente inicialmente uma estimulação que é seguida por uma depressão, sendo este efeito o mais importante. Mas pode também ter sensações estranhas, chegando até a alucinações.

É verdade que quem usa solventes tem alucinações?
Pode ocorrer alucinações entre aqueles que estão sob efeito do solvente. As alucinações podem ser tanto auditivas (ouvir sons que na realidade não estão presentes) e visuais (ver coisas inexistentes, por exemplo fantasmas, bichos, estrelinhas, etc).

Como é a excitação causada pelos solventes?
A pessoa fica eufórica, agitada, com tonturas e perturbações auditivas e visuais. Pode aparecer também náuseas, espirros, tosse, salivação intensa e o rosto fica vermelho.

Como é a depressão que os solventes provocam?
Após a excitação inicial que o solvente provoca sobrevêm a depressão do cérebro e a pessoa vai ficando confusa, desorientada, voz meio pastosa, visão embaçada, dor de cabeça e palidez. Essa depressão tende a piorar se a pessoa continuar inalando o solvente, sobrevindo sonolência intensa, incoordenação motora podendo aparecer convulsões ("ataques") e em algumas intoxicações muito severas o solvente leva ao coma e a morte.

A inalação crônica de solventes traz problemas de saúde?
A inalação crônica de solventes, seja proposital como aquela involuntária, traz problemas sérios à saúde. Por exemplo trabalhadores de indústrias de sapatos ou de oficinas de pintura se não usarem equipamentos de proteção estarão fazendo uso crônico involuntariamente de solventes.
A inalação crônica pode levar a morte de neurônios (células do cérebro), causando lesões irreversíveis do cérebro. Além disso a pessoa que usa cronicamente solventes fica apática, com dificuldades de concentração e déficit de memória.

O uso de solventes prejudica apenas o cérebro?
Não. Sabe-se que o uso crônico de alguns solventes causam lesões no fígado, rins e degenerações progressivas de nervos periféricos como os da perna, levando a transtornos no andar, podendo chegar à paralisia. Além disso o solvente torna o músculo cardíaco (o coração) muito sensível a uma substância que aparece normalmente no sangue, quando a pessoa exerce um esforço extra como por exemplo correr ou quando toma um susto. Essa substância é a adrenalina. Assim, se uma pessoa inala um solvente e logo depois faz esforço físico, o seu coração pode sofrer danos, pois ele estará muito sensível à adrenalina liberada por causa do esforço. A literatura médica já descreveu vários casos de morte, por síncope cardíaca, principalmente de adolescentes.

É verdade que os solventes tiram a fome?
Na realidade os solventes por serem potentes depressores do Sistema Nervoso Central, mascaram a vontade de comer, assim com as demais funções fisiológicas, mas não se pode dizer que seja uma droga anorexígena (que reduz o apetite).

O uso de solventes provoca dependência?
Sim. A dependência naqueles que abusam cronicamente de solventes é comum. A síndrome de abstinência (reações do organismo quando a pessoa deixa de usar o solvente) está presente na interrupção abrupta do uso dessas drogas, aparecendo: ansiedade, agitação, tremores, câimbras nas pernas e insônia.

Os solventes provocam tolerância?
A tolerância (a droga perde o efeito e é preciso aumentar a quantidade do solvente para voltar sentir os mesmos efeitos) ocorre ao fim de 1 a 2 meses de uso dependendo da pessoa e do tipo de solvente usado.

O que acontece se alguém for surpreendido cheirando ou sob o efeito de solventes?
Mesmo sendo uma droga considerada legal, você será classificado um usuário e será levado a tratamento compulsório (independentemente da sua vontade em querer ou não se tratar). É uma droga legal, porém o uso com fins de abuso é ilegal (proibido).

E se alguém for apanhado vendendo solvente na rua?
Será considerado um traficante.

E se alguém estiver apenas levando o solvente para usar junto com os amigos?
Será considerado traficante, do mesmo jeito como se estivesse vendendo.

Uma pessoa pode ser presa se for considerada traficante?
Sim, tiver mais que 18 anos de idade. Caso contrário será encaminhada à Fundação CASA.

Fonte: Centro Brasileiro de Informações 
sobre Drogas Psicotrópicas – CEBRID/UNIFESP

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Perguntas e Respostas Sobre: Cocaína/Crack.

 O que é a cocaína?
A cocaína é uma substância que estimula fortemente o sistema nervoso central e é extraída de uma planta chamada Erytroxylon coca ou simplesmente coca.

A cocaína, o crack, a pasta da coca, a merla (ou mela), a farinha ou pó, são todos a mesma coisa?
Todos estes nomes indicam diferentes preparações obtidas da planta coca; portanto todos estes produtos da coca contem cocaína. A pasta de coca e a merla, são produtos com muitas impurezas e a cocaína que neles existe está sob uma forma que chamamos de base (cocaína básica) insolúvel na água, mas que pode ser fumada. O mesmo ocorre com o crack que se apresenta em forma de pequenas pedras, que também tem a cocaína básica e é bastante fumada.
Já a farinha ou é a cocaína sob a forma de um sal, cloridrato de cocaína que é solúvel na água. O uso do pó é por aspiração ("cafungar" ou cheirar, fazendo o pó entrar pelas narinas) ou por injeção endovenosa (injetar "pelos canos").

Como é usada a cocaína?
A cocaína em pó (ou "farinha") é, em geral, utilizada por via intranasal, ou seja, por aspiração nasal, ou ainda por via intravenosa, quando dissolvida na água. Não é muito comum, mas também pode ser usada oralmente. É possível, também, fumar (via pulmonar) a cocaína, mas não na forma de pó e sim de pedra, o crack. Ainda, a pasta de coca a merla, preparadas de forma diferente do crack, mas também contém cocaína sob forma de base, podem ser fumadas.

Por que usam a cocaína?
A cocaína é usada por seus efeitos prazerosos. Ela provoca grande euforia e um prazer de difícil descrição. Além disso, seu uso é atrativo visto levar as pessoas a "perderem" medos e proporcionar sensações de poder. Mas estes efeitos permanecem por um curto período. Após isso a pessoa entra em contato com a realidade, o que pode gerar depressão e ânsia por nova dose da droga.

Quem são as pessoas que usam a cocaína?
Os indivíduos que usam ou abusam da cocaína podem ser encontrados em todos os grupos raciais, geográficos e profissionais. No passado, o uso de cocaína costumava ser associado a certos profissionais como executivos, artistas e atletas. Seu alto custo transformava a cocaína em droga de elite, restrita a pessoas que dispunham de renda considerável, visto que só existia a cocaína em pó que podia ser inalada ou injetada. Hoje, o baixo custo do crack permite que pessoas de classes sociais menos favorecidas tenham acesso à droga. Assim, o crack está presente entre meninos de rua, estudantes, jovens e adultos, não estabelecendo um grupo ou uma idade específica.

Quantos usam a cocaína?
Em se tratando de uma droga ilegal, torna-se difícil especificar um número correto de usuário de cocaína. Em levantamento sobre o uso de drogas entre estudantes de 1º e 2º graus em 10 capitais brasileiras, realizados pelo CEBRID em 1997, observou-se aumento do uso na vida de cocaína em oito capitais e do uso freqüente em seis. As estatísticas indicam que 2% da amostra brasileira de estudantes já fez uso de cocaína em algum momento da vida e 0,8% faz uso freqüente desta droga. Estes dados não são muito grandes (várias vezes menor do que ocorre nos Estados Unidos) mas chega a preocupar. Em termos de crack, é difícil detectar sua presença numa população escolar visto que aqueles que começam a usar este tipo de droga perdem qualquer vínculo escolar, já que a dependência do! crack é muito severa. Mas a análise da população de meninos de rua em seis capitais brasileiras, em 1997, revelou que o crack mostra-se extremamente significativo em São Paulo, onde 47% dos entrevistados já fizeram uso pelo menos uma vez de tal substância.

O que a cocaína faz no corpo após uma dose (efeitos físicos agudos)?
Os efeitos físicos do uso de cocaína envolvem aumento do número de batimentos do coração e da pressão arterial, aumento da temperatura corpórea e pupilas dilatadas.
Em casos agudos de intoxicação, a estimulação central profunda leva a convulsões e arritmias ventriculares (o coração bate descompassadamente) e com disfunção respiratória que podem levar à morte.

O que a cocaína faz no corpo com o uso contínuo (efeitos físicos crônicos)?
Existem inúmeras complicações físicas associadas ao uso crônico da cocaína. Os distúrbios mais freqüentes são os cardiovasculares, incluindo distúrbios no ritmo cardíaco e ataques do coração. A cocaína provoca ainda efeitos respiratórios como dor no peito e dificuldade respiratória, além de efeitos gastrointestinais como dores e náuseas. É importante ressaltar que o aparecimento de problemas pelo uso crônico irá depender da via de administração. Por exemplo, problemas nasais, como ruptura do septo nasal e perda do olfato, aparecem com aspiração crônica da cocaína. Distúrbios cardiovasculares aparecem em todas as vias de administração. No uso de crack há complicações respiratórias ainda maiores envolvendo bronquite, tosse persistente e disfunções severas.
A via endovenosa, além de aumentar o risco de overdose, propicia disseminação de infecções tais como hepatite B e C e AIDS.
Além disso, o uso crônico de cocaína, sob qualquer forma de uso, leva a uma degeneração dos músculos esqueléticos, num processo irreversível chamado rabdomiólise.

O que a cocaína faz com a mente após uma dose (efeitos psíquicos agudos)?
A cocaína causa uma excitação geral do organismo. Ela melhora o estado de alerta, os movimentos, acelera os pensamentos, tira o sono e suprime o apetite. Isto ocorre por sua ação no Sistema Nervoso Central, interferindo com as reações químicas do cérebro.
O usuário tem uma sensação de poder, força e euforia. Mas a pessoa fica também irrequieta, tremula e impaciente. Devido à inquietação comete muitos erros mentais, como por exemplo, fazer cálculos. A duração destes efeitos depende da via de administração da droga. Quanto mais rápida a absorção, mais intensa é a sensação de prazer. Por outro lado, quanto mais rápida a absorção, menor é a duração dos efeitos. Além da sensação de prazer, a droga leva a temporária perda do apetite e do sono, torna a pessoa mais comunicativa.

O que a cocaína faz com a mente com o uso contínuo (efeitos psíquicos crônicos)?
O uso crônico e compulsivo da cocaína leva a conseqüências psicológicas, representadas por distúrbios psiquiátricos. Depressão, ansiedade, irritabilidade, distúrbios do humor e paranóia ("nóia"; sentir-se perseguido, vigiado, etc) são as queixas de ordem psicológica mais comuns. Entre outros problemas estão agressividade, delírios (principalmente os delírios persecutórios, onde a pessoa acredita que os outros estão tramando contra ela ou falando mal, etc) e alucinações (ver ou ouvir objetos e sons inexistentes). Quando a dependência se estabelece de forma significativa há perda do interesse por tudo que não estabeleça relação com uso da droga. O usuário vive para usar a droga.

O uso da cocaína afeta o rendimento escolar?
    Em geral, as pessoas que passam a fazer uso freqüente da cocaína passam a ter dificuldade de concentração e perdem todo e qualquer interesse pelos estudos, pelos amigos e familiares. Assim, todo o rendimento escolar é prejudicado. No caso de envolvimento com crack é ainda mais comum o abandono dos estudos.

O uso da cocaína leva ao consumo de outras drogas?
Não existem, atualmente, trabalhos científicos que estabeleçam uma relação entre o uso de diferentes drogas. O que é possível constatar é que o uso de álcool e maconha, entre os usuários de crack, é muito comum, visto moderarem os efeitos desagradáveis da cocaína.

Você reconhece quando alguém usa cocaína?
Existem algumas evidências físicas que refletem o uso freqüente da cocaína. O usuário perde muito peso em pouco tempo e apresenta um aspecto frágil e doente. Devido a insônia, apresenta, também, olheiras profundas. Além disso é possível identificar alguns sinais mais sutis como: boca seca, dilatação das pupilas, olhar perdido, alucinações, narinas irritadas (no caso de aspiração) ou queimaduras nos lábios, na língua e no rosto pela proximidade da chama do cachimbo (para crack). No caso de uso intravenoso as marcas de picadas pelo corpo são visíveis. Mas é preciso entender que nem todas as pessoas que apresentam tais aspectos físicos são usuárias de cocaína!

A cocaína é usada como medicamento?
A cocaína é um potente anestésico local. Ela chegou a ser utilizada como medicamento até o início do século XX, para vários males. Ela já foi utilizada em cirurgias oculares (gotejando-se no olho como anestesia reversível da córnea), dentárias e auditivas. Atualmente não tem uso médico.

Existe algum problema relacionado ao uso de cocaína na gravidez?
Sim. Bebês nascidos de mães que abusaram de cocaína durante a gravidez geralmente nascem de partos prematuros, com baixo peso e estatura e circunferência craniana menor que o normal. Há ainda altas taxas de malformação congênita e mortalidade perinatal. Há também evidências que crianças que receberam cocaína através das mães (quando ainda estavam no útero das mesmas) podem ter queda do rendimento escolar quando maiores, envolvendo distração e dificuldade de concentração.

As pessoas ficam dependentes da cocaína?
Sim! A cocaína é uma droga com alto poder de gerar dependência. Uma vez tendo experimentado a cocaína existem pessoas que não podem mais determinar ou controlar a extensão com que irão continuar usando a droga.
No caso da cocaína em pó não existe um tempo definido para o estabelecimento da dependência; mas no caso do crack a dependência tende a surgir logo nas primeiras "pipadas"(ato de fumar o cachimbo contendo o crack) . O crack é uma das drogas mais potentes e indutoras de dependência.

As pessoas podem para de usar a cocaína?
Sim! Algumas pessoas conseguem parar de usar a cocaína por conta própria, sem necessidade de intervenção de profissionais especializados, o que é raro. O mais comum é deixar o uso após tratamento. A quantidade de cocaína consumida, a regularidade e a via de administração são fatores importantes na escolha de um tratamento.

Há desenvolvimento de tolerância com a cocaína?
Sim! O uso contínuo de cocaína gera uma tolerância à droga. Os usuários vão aumentando a dose para sentir os mesmos efeitos.

O que acontece se uma pessoa for surpreendida usando cocaína?
No Brasil, usar ou traficar droga é crime. Para um usuário a lei prescreve seis meses a dois anos de detenção e se aplica a qualquer forma de uso da cocaína.

O que acontece se uma pessoa for surpreendida levando cocaína para usar junto com os amigos?
A lei nº 6368, de outubro de 1976, chamada de "lei antitóxico", no seu artigo 12, classifica como traficante de droga tanto a pessoa que possui laboratórios clandestinos que fabricam a cocaína como aquela que simplesmente a oferece a um amigo, ainda que gratuitamente.

A cocaína afeta a memória?
O uso de cocaína afeta a memória recente, prejudicando informações recebidas sob o efeito da droga.

A cocaína tem ação sobre atividade sexual?
     Por muito tempo a cocaína teve uma reputação de afrodisíaco mas, atualmente, sabe-se que tal fama esta relacionada à desinibição e "diversão" causada pela droga. Na realidade é possível observar que a droga, com o tempo, passa a diminuir a vontade relativa ao sexo. A perda do impulso sexual e a incapacidade de se relacionar sexualmente são as principais queixas dos usuários freqüentes de cocaína; com o crack isto ocorre com praticamente todos que usam.

Fonte: CEBRID – Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

CREAS é inaugurado e marca o avanço em Cerquilho

A Prefeitura de Cerquilho e o Órgão Gestor da Assistência Social inauguraram na última segunda-feira (7), o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), que já está em funcionamento na Rua da Fazendinha, 219. Na mesma data foi implantado o projeto “Fortalecer”, para atender vítimas de violência doméstica e sexual.

O momento marca mais um importante avanço de Cerquilho, desta vez na área social, que já se tornou referência entre as cidades da região.

A solenidade teve a presença do prefeito Du Pilon, do vice-prefeito Márcio Gaiotto, da presidente do Fundo Social Jacqueline Grando Gaiotto, do presidente da Câmara Wagner Alcides Bellucci, de secretários municipais, vereadores, autoridades religiosas, equipe de trabalho social e participante dos projetos.

A gestora da Assistência Social Patrícia Cláudia Rodrigues ressaltou a importância do trabalho de toda a equipe do CREAS, para que o projeto tenha sucesso. “Através da união de todos conseguiremos atender com qualidade todas as pessoas que nos procurarem”, completou Patrícia.

O prefeito de Cerquilho Du Pilon destacou os cursos desenvolvidos no social, a importância deles para geração de renda familiar e o trabalho que será realizado no CREAS. “O programa atenderá primordialmente casos que envolvam dependência química (PROMED), violência sexual e doméstica, além de atender adolescentes em cumprimento de medida sócio-educativa (Integrar). Um trabalho sério e competente que dará frutos a cidade”, finalizou o prefeito.

O CREAS constitui-se em uma unidade pública de prestação de serviços especializados e continuados a indivíduos e famílias com seus direitos violados, promovendo a integração de esforços, recursos e meios para enfrentar a dispersão dos serviços e potencializar a ação para os seus usuários. Todo esse trabalho envolve uma equipe de profissionais que oferecem apoio e acompanhamento individual especializado.

Em Cerquilho o CREAS funciona na Rua da Fazendinha, 219, no centro. Os telefones de contato são: (15) 3384-1154 e (15) 3384-3921.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Perguntas e Respostas Sobre: Maconha


1 - O que é a Maconha?
A maconha é o nome dado no Brasil ao vegetal Cannabis sativa, também conhecida popularmente como: marijuana, fumo, bagulho, manga rosa, liamba, mulatinho. Os primeiros relatos de sua presença no Brasil datam do século XVIII para a produção de fibras. No entanto acredita-se que a planta já existe há mais tempo utilizada pelos escravos. A planta Cannabis sativa produz mais de 400 substâncias químicas. Uma delas é o THC      (tetrahidrocanabinol ) que é a principal responsável pelos efeitos da maconha.

2 - Como a Maconha é utilizada?
As flores e folhas secas da maconha podem ser fumadas ou ingeridas, sendo que a forma mais comum é a fumada. Nesse primeiro caso a maconha é absorvida por via pulmonar e atinge o Sistema Nervoso Central (cérebro) em apenas alguns segundos e, utilizada por via oral sua absorção é lenta, de 30 a 60 minutos.

3 – O que é Hashishe (ou Hachiche)? e Skank (Skunk)?
O hashishe é uma forma concentrada da maconha, com a forma de uma bolota. A pessoa pode engolir a bolota ou pode fuma-la. O hashishe é bem mais potente que as folhas e flores da maconha. O skunk nada mais é do que uma variedade da planta que foi selecionada para produzir uma quantidade bem maior de THC. É claro, portanto, que o skunk é mais potente que a maconha comum.

4 - Por que as pessoas usam Maconha?
Não podemos dizer que todos que fumam maconha querem sentir as mesmas coisas, mas alguns dos efeitos buscados podem ser: Tranqüilidade, pois muitos do que usam maconha se sentem mais calmos e relaxados; Diversão e descontração, a pessoa ri por qualquer motivo; Busca de um maior prazer sexual (isto não ocorre, na verdade); Maior sensibilidade ao som (ficar curtindo uma música por exemplo), Maior sensibilidade ao gosto (a famosa      “larica” ); Ficar “morgando”, que se caracteriza pela vontade de não fazer nada; Ficar “ viajando” em algum objeto, pois a sensibilidade visual fica aumentada.

5 - Quantas pessoas usam Maconha?
Muita gente no mundo inteiro. Por exemplo em um levantamento de 1999 sobre uso de drogas na população do Estado de São Paulo mostrou que 6,4% já havia experimentado a maconha. Em quatro levantamentos de consumo entre os estudantes das 10 maiores capitais do Brasil revelou que 7,6% (em 1997) dos estudantes a haviam experimentado pelo menos uma vez.

6 - O que a Maconha faz no corpo após uma dose (efeitos Físicos Agudos)?
Os efeitos físicos agudos não são muitos : os olhos ficam ligeiramente avermelhados (hiperemia das conjuntiva ),a boca fica seca (xerostomia) e o coração dispara (os batimentos, de 60 a 80 por minuto, podem chegar a mais de 120)

7 - O que a Maconha faz no corpo com o uso contínuo (efeitos Físicos Crônicos) ?
Os efeitos crônicos da maconha são mais graves. No homem o uso prolongado de maconha pode provocar uma diminuição da testosterona (hormônio que confere ao homem maior quantidade de músculos, a voz mais grossa, barba, também é responsável pela fabricação do espermatozóides). Na mulher pode trazer alterações hormonais chegando até a inibição da ovulação. O uso contínuo pode afetar também os pulmões (a fumaça é muito irritante), sendo comum os problemas respiratórios, principalmente a bronquite. Animais de laboratório expostos cronicamente à maconha passam a apresentar maior incidência de câncer do que animais controles.

8 - O que a Maconha faz com a mente após uma dose (efeitos Psíquicos Agudos)?
Os efeitos psíquicos agudos dependerão da qualidade da maconha fumada e da sensibilidade de quem fuma. Para uma parte das pessoas, os feitos correspondem a uma sensação de calma e relaxamento, menos cansaço e vontade de rir. Para outras, ao contrário, os efeitos são desagradáveis: tremor, sudorese, sensação de angústia, medo de perder o controle mental (bad trip/ má viagem, bode).
A percepção do tempo e do espaço ficam prejudicadas. Assim, uma pessoa ao dirigir após ter usado maconha, pode facilmente calcular errado na hora de fazer uma ultrapassagem, causando assim um acidente. Há também uma perda da memória que, iremos abordar em um outro tópico.

9 - O que a Maconha faz com a mente depois de um período de uso crônico (efeitos Psíquicos Crônicos)?
Os efeitos psíquicos crônicos da maconha, provocado pelo uso continuado, interferem na capacidade de aprendizagem e de memorização, podendo induzir a um estado de diminuição da motivação. Nesse caso, a pessoa não sente vontade de fazer mais nada, tudo parece ficar sem graça e sem importância. Há também provas científicas de que, se o usuário tem uma doença psíquica, mas que ainda está “sob controle”, ou já se manifesta, mas está controlada por medicamento, a maconha piora o quadro, pois ela pode anular o efeito do medicamento ou ser o “estopim” que faria a doença se manifestar.

10 - A Maconha afeta o desempenho na escola?
Imagine uma pessoa que fumou maconha e vai assistir uma aula de matemática. Pense na dificuldade que vai ser para essa pessoa organizar ás idéias de uma forma lógica já que, como vimos, a maconha afeta a atenção, concentração, motivação e memória. Com certeza o desempenho na escola ou em quaisquer outras atividades que exijam esses quesitos vão ser prejudicadas.

11 - A Maconha leva ao uso de outras Drogas?
Não necessariamente. O que ocorre na verdade (e que leva a essa noção equivocada de  que a maconha seria a porta de entrada para outras drogas) é uma hierarquia na experimentação e no uso por parte das pessoas. Raramente alguém começa a usar direto cocaína sem ter pelo menos experimentado alguma bebida alcoólica ou cigarro (que são drogas legais mas que, podem também causar sérios problemas). Se uma pessoa tiver vontade de provar mais alguma coisa, é provável que ela experimente, dentro das drogas ilegais, primeiro a maconha, por ser mais barata e disponível. Mas não há nada de intrínseco (que pertença á ela) nessa substância que obrigue a pessoa a depois usar algo mais pesado e assim sucessivamente.

12 – É possível reconhecer alguém que usa Maconha?
Às vezes. Por exemplo, quando a pessoa tem os olhos avermelhados e a boca seca. Mas muitas vezes uma pessoa pode ter uma ou mesmo as duas coisas, sem nunca ter fumado maconha.

13 -  A Maconha pode ser usada como remédio?
Apesar de seus efeitos tóxicos e sua ilegalidade de consumo no Brasil, há relatos até antigos dos efeitos terapêuticos da maconha .Nos dias de hoje a maconha é reconhecida como medicamento em pelo menos 3 condições clínicas : Reduz ou abole as náuseas e vômitos produzidos por medicamentos anticâncer; Tem efeitos benéficos em alguns casos de epilepsia (doença que se caracteriza por convulsões ou ataques); e, Pode melhorar o estado geral de doentes de AIDS (mas não cura a doença).

14 - A pessoa pode usar Maconha quando está grávida?
Nenhuma substância que cause algum tipo de intoxicação deve ser usada pela mulher quando estiver grávida  (e no período de amamentação), pois isso prejudica o feto que está em desenvolvimento. Assim como o cigarro, álcool, remédios (que não receitados pelo médico), a maconha e outras drogas não podem ser usadas.

15 - A Maconha causa dependência?
Algumas pessoas podem desenvolver dependência e outras não.  Isto vai depender da pessoa e seus problemas e do tempo e quantidade de uso. Infelizmente não podemos saber quais são essas pessoas pois, a dependência está ligada a uma série de fatores que vão variar muito de pessoa para pessoa.

16 - As pessoas podem parar de usar Maconha?
Sim. Algumas pessoas param sozinhas, outras precisam de ajuda, mas de uma forma ou de outra o importante é saber que, se a pessoa quiser ela pode parar.

17 - A Maconha causa tolerância?
O uso contínuo da maconha pode levar ao fenômeno de tolerância. Por exemplo: se antes a pessoa com 1 baseado ficava “legal”, agora ela precisa fumar mais para ficar “legal” do mesmo jeito. No entanto, a tolerância no caso da maconha demora muito para acontecer.

18 - O que acontece se uma pessoa for surpreendida usando Maconha?
A maconha no Brasil é considerada um droga ilícita e, como tal, se uma pessoa estiver usando maconha e for surpreendida ( mesmo que não esteja causando nenhuma tipo de problema ou dano a alguém, só a ela mesma) ela vai ser punida de acordo com a lei.

19 - O que acontece com uma pessoa se ela for surpreendida levando Maconha para usar com amigos?
Como foi dito acima, o problema é que não interessa se a pessoa vai usar em casa com um amigo para ficar curtindo um som, ou se ela vai usar com os amigos numa festa, situações estas que aparentemente não estariam prejudicando a ninguém. A maconha é uma droga ilícita e a pessoa que a estiver levando para usar com amigos poderá ser enquadrada como traficante (dependendo da quantidade que tem em posse) pela nossa lei.

20 - A Maconha afeta a memória?
Sim. A maconha prejudica principalmente a memória a curto prazo; exemplificando:  Vamos supor que alguém esteja em casa com um amigo e vão pedir uma pizza, ela olha o telefone na caderneta e, quando começa a discar já se esqueceu o número que acabou de olhar, tendo que consultar novamente a caderneta. Obviamente que nesse caso não  há grandes prejuízos, mas, se a pessoa estivesse em seu trabalho ou estudando e necessitasse de uma atenção maior, com certeza estaria tendo problemas.

21 - A Maconha afeta o desempenho sexual?
A maconha não afeta diretamente o desempenho sexual mas, como já foi visto ela trás tanto para o homem quanto para a mulher alterações hormonais que podem resultar em problemas. Além do mais, a maconha produz tantas alterações mentais que pode tirar a concentração necessária durante o ato sexual.




Fonte: Centro Brasileiro de Informações
sobre Drogas Psicotrópicas – CEBRID/UNIFESP